Resenha: O Fantasma da Ópera

Somos gamers por essência, mas também temos que saber apreciar as outras formas de cultura. Por isso, fomos assistir um dos musicais mais premiados do Brasil e do mundo. Foi nossa primeira experiência em musicais, e o que era pra ser um presente de aniversário pra sogrona, virou uma experiência única. Vem comigo que eu explico tudo, sem (muitos) spoilers.

O musical, escrito por Gaston Leroux e publicado em 1909 conta a história de um fantasma que assombra a Ópera de Paris, vivendo em suas catacumbas. Ele se apaixona pela jovem Christine, sua aluna de canto durante a noite. Ela se reencontra com Raoul, seu amor de infância. Para desbloquear o resto da sinopse pague R$ 19,99 Não vou contar o resto da história pois seria spoiler demais, mas garanto que quem gosta de histórias dramáticas não vai se arrepender.

Quanto ao aspecto visual do espetáculo, é uma experiência única. Posso dizer que a história envolve um lustre gigante, que tem efeitos de tirar o fôlego. Tudo do musical é incrível: as músicas, a atuação, o cenário… Passamos o tempo todo arrepiados. Minha namorada passou uns 80% do musical de boca aberta, pra vocês terem idéia da coisa.

Mas depois do espetáculo, uma dúvida ficou no ar. Tinha um maestro mandando ver na batuta, um pouco antes do palco. Será que ele conduzia as músicas ao vivo? Ficamos com essa dúvida, até que descobrimos a resposta.

Nossa cara depois de descobrir:

Depois dessa eu passei a respeitar ainda mais a profissão de maestro. Inclusive, recomendo procurar sobre João Carlos Martins, maestro e ex-pianista brasileiro, que apesar de ter perdido o movimento das mãos, continuou atuando por bastante tempo.

Então é isso. A mensagem que deixo para vocês é que, apesar de games serem uma ótima fonte de entretenimento, existem coisas que só a arte é capaz de fazer com a gente. Vá ao teatro. Vá ao cinema. Incentive a arte, sobretudo a cena nacional. Garanto que isso vai abrir novos horizontes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *